Sonora Volta Redonda. Foto: Ana Balarin
Sonora Volta Redonda, evento realizado em parceria com o Instituto Musical Rogério Valente em 29/10/2016. Foto: Ana Balarin (Falanges)

Baseado na necessidade social de sua prática e na paixão pela música, o Instituto Musical Rogério Valente foi criado em 1994, e cresceu sob o lema de sua expansão: a música como forma de expressão pessoal e também cultural de um grupo. Atualmente conta com equipe de 9 professores, implicados na construção do uso da música como forma de crescimento individual, e de relativização do lugar do sujeito em seus espaços de convivência social. A escola oferece diversos cursos, acolhendo desde crianças, em fase de musicalização infantil, adolescentes, adultos até idosos, pessoas de todas as faixas etárias, sociais, econômicas, muitas vezes inaugurando em suas vidas uma nova maneira de expressão. Recebendo cerca de 200 a 250 alunos por ano, o Instituto vem rompendo, então, com a antiga ideia de escola de música voltada para as crianças vindas de famílias de alto poder aquisitivo_ ou, por outro lado, para as “crianças carentes”. Nossa escola se propõe receber pessoas de todas as idades, de todas as “tribos”, abrindo espaço para as donas de casa, aposentados, profissionais liberais e, claro, músicos profissionais em busca de aperfeiçoamento. Sem estereótipos, sem precisar se enquadrar_ aulas individuais que seguem o ritmo do próprio aluno apenas (o que nos permite receber também pessoas com problemas de concentração ou com necessidades especiais), ou no máximo em trio, quando é de seu desejo.

Seja para desenvolver um talento que percebe estar latente, seja por lazer, ou indicação médica, seja como recurso para lidar com a timidez ou como uma forma de criar vínculos, o Instituto se coloca como lugar propagação desse saber e também de acolhimento.

Rompemos, também, com a ideia da “conclusão” do curso: música é para a vida e é, ela própria, sempre viva, não existe um momento em que o músico não tem mais o que aprender: trata-se de uma formação continuada, onde o aluno sente maior ou menor necessidade de aprofundar-se no estudo. Por isso, é válido estudar teoria e harmonia, e por outro lado também é válido reservar-se o sujeito uma hora semanal para aproveitar o benefício terapêutico das aulas de música. E também por isso a escola mantém alunos por até oito, dez anos, assim como aqueles que estudam dois ou três anos, e depois de muito tempo voltam, trazendo os filhos para uma experiência que consideraram um aprendizado rico e prazeroso.